O LIVRO

O LIVRO

sexta-feira, 17 de julho de 2015

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL MIRIM





                                              Ilustração do jogo Aldeia Virtual criado especialmente para as crianças

De onde vem a palavra índio?

A palavra índio é fruto do engano dos primeiros colonizadores. Ao chegarem nas Américas, eles pensaram estar na Índia e então chamaram de índios os habitantes do continente!

No Brasil essa palavra é usada como sinônimo de indígena. Indígena quer dizer “aquele que é nativo e descendente dos povos originários de uma localidade”.
De onde vem a palavra índio?
A palavra índio é fruto do engano dos primeiros colonizadores. Ao chegarem nas Américas, eles pensaram estar na Índia e então chamaram de índios os habitantes do continente!

No Brasil essa palavra é usada como sinônimo de indígena. Indígena quer dizer “aquele que é nativo e descendente dos povos originários de uma localidade”.



Indios Kisedje, terra indígena Wawi (MT)
"Desde 1997 o portal do ISA tem um site sobre os Povos Indígenas no Brasil, que foi reestruturado em 2008. Pelos e-mails recebidos dos usuários do site, percebemos que muito dos acessos eram de crianças. Por conta disso, decidimos fazer um site especial para este público, ampliando assim o espaço web para pesquisa escolar", diz a coordenadora do programa Monitoramento de Áreas Protegidas e do tema Povos Indígenas no Brasil do ISA, Fany Ricardo.

Destinado à pesquisa escolar, o site Povos Indígenas no Brasil (PIB) Mirim mostra a diversidade cultural desse povos de forma didática e em linguagem acessível. Uma das formas encontradas pela equipe do ISA para despertar o interesse das crianças foi a criação da Aldeia Virtual - jogo online com referências reais sobre diferentes etnias com o qual eles podem interagir e se sentir parte daquele ambiente.

O site PIB Mirim conta com um conteúdo preparado especialmente para as crianças sobre as culturas dos povos indígenas no Brasil. Por meio de material destinado à pesquisa escolar, no qual temas centrais se desdobram em uma série de questões organizadas pela equipe do Instituto Socioambiental (ISA), e do espaço Aldeia Virtual - jogo online situado em uma aldeia circular no Cerrado brasileiro - pretende-se apresentar a diversidade de povos, romper com a idéia do "índio genérico" e despertar o interesse e o respeito das crianças às culturas indígenas existentes no Brasil. Tudo isso escrito em linguagem acessível para o público infanto-juvenil.

Aldeia Virtual

A Aldeia Virtual, realização do Instituto Socioambiental e da empresa de games 8D, é um espaço criado a partir de referências reais sobre alguns dos diferentes povos indígenas que vivem no Brasil. Ali, cada criança escolhe um entre os sete avatares de um povo (Ashaninka, Asurini do Xingu, Karajá, Krahô, Matis, Xikrin Kayapó e Yanomami) e passa a participar com ele das atividades da aldeia, podendo conversar e jogar com outros participantes. O jogo é livremente inspirado em referências dos povos - os Ashaninka não vivem em uma aldeia circular, nem os Yanomami vivem no Cerrado. Mas, nessa aldeia, todos se encontram, fazendo disso uma oportunidade divertida para trocar impressões dos diferentes modos de vida destes, e de outros, povos no Brasil.

Na Aldeia é possível, ainda, participar do jogo Corrida de Toras, atividade praticada por índios no Cerrado brasileiro. As toras geralmente são do tronco do Buriti, uma palmeira típica da região. Na corrida tradicional, os índios se dividem em dois grupos e cada grupo carrega uma tora. Quando alguém fica cansado, outra pessoa do grupo pega a tora no ombro. Esse revezamento acontece durante toda a corrida que termina geralmente no pátio central da aldeia. É uma atividade que diverte e desenvolve muitas habilidades.

Material para pesquisa escolar

Além da Aldeia Virtual, o PIB Mirim apresenta conteúdo destinado à pesquisa escolar com o objetivo de divulgar informações qualificadas sobre os povos indígenas. Dividido em cinco grandes temas (Antes de Cabral, Como vivem, Onde estão, Quem são e Línguas) o novo site aborda questões fundamentais para a compreensão dessa diversidade.

Os textos publicados podem servir de suporte, assim como o conteúdo já disponível no site Povos Indígenas no Brasil (pib.socioambiental.org), para professores levarem a temática indígena para a sala de aula, complementando o ensino, atualmente obrigatório em todo o País (Lei 11.645, 10/03/2008), de História e Cultura Indígena. [A alteração na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional traz a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena].

 ISA, Instituto Socioambiental.

Acesse o site http://www.dicionariotupiguarani.com.br/

2 comentários: